segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

A estrela pequenina

(Daniel Leite)



A estrela pequenina lá no céu vem a brilhar
A sua luz contínua vem a todos nos guiar

A luz que ilumina a terra é a luz que vem do mar
O anel do meu benzinho tem três pedras a brilhar

A pedra azul é a força que encoraja o nosso andar
A pedra verde é a luz que ilumina o caminhar

A pedra amarela é a flor que abre ao verdejar
O seu perfume emana o amor que Deus tem a nos dar

A lua prateada vem à Terra abençoar
O sereno da noite vem a paz disseminar

A festa do Divino eu irei acompanhar
Na grandeza do seu amor eu quero me banhar

Hey!

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Seus olhos

Seus olhos me dão paz, amor, segurança
Se dizer palavras basta
Tua vista não acaba, vai mais além do que me alcança

Na linha de um fio de cabelo seu
Fiz a volta de um novelo
Se tivesse que fazer de novo
Novamente ia fazê-lo

Minha voz balbucia em torno de sua beleza
Onde encontrar-te mais, senão na natureza?

O ar nos conecta pelo perfume das ervas
O toque é material
Esfumam-se nossos quereres
em flechas disciplinadas, certas

Quis um dia ser como cristal
Ser uma estrela da terra incrustada
E não deixar de ser criança
Seus olhos me mostraram

"Toque-me e serás meu amigo
Com amor, cumplicidade, aliança "






domingo, 26 de novembro de 2017

Voltar a escrever
voltar a sentir
sendo, me considero
me conecto, me vinculo

Tu, nós todo dia juntos
nós integrados na grandeza da natureza
aceitando, vivendo o fluxo
Sentindo o momento

Daqui em diante, ser
tocar, cheirar, observar

Olhar com os olhos de quem acompanha
sem julgar, apenas sendo

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Chora poeta

(Daniel Leite)

Tava andando pelo mundo
o poeta me chamou
disse que já vinha vindo
veio mostrar o seu valor
suas palavras alumiam
os caminhos onde eu vou

Chora poeta! Chora poeta!

Minha terra tem palmeiras
onde canta o sabiá
fui no pé da laranjeira
na sombra fui refrescar
flor de rosa tanto cheira
eu também quero cheirar

Chora poeta! Chora poeta!

Na escolha de um caminho
todo atalho é sedução
venha cá Mestre Poloca
no olho do furacão
duas coisas nesse mundo
aperreia o cidadão

Chora poeta! Chora poeta!

Lá no pé da ribanceira
quebra galho bate vento
tempestade come solta
cavalo vai mata adentro
água forte lava a terra
e na serra morre o vento

Chora poeta! Chora poeta!

Trem de ferro come lenha
tá com pressa de chegar
passa pasto passa poste
passa rio passa preá
passa galho de ingazeira
ai que vontade de cantar!

Chora poeta! Chora poeta!

Menina diga seu nome
que eu também lhe digo o meu
o meu nome é água limpa
que o galo já bebeu
já cantou na meia noite
meu benzinho adormeceu

Chora poeta! Chora poeta!


domingo, 25 de junho de 2017

Viva São João - Martonio Holanda

(Gm)

Ô abre a porta quero ver meu bem
Abri a porta meu amor já vem (2x)

Meu salão já tem bandeiras
Branco, azul e amarela
Chama acesa na fogueira
Lembra teu nascer tão belo

Se apresenta com as belezas
em claros raios de luz
Trazendo em si os encantos
No céu de estrelas azuis

Ô abre a porta quero ver meu bem
Abri a porta meu amor já vem (2x)

É água que traz a vida
da flor no chão do deserto
faz essa gente reunida
seguir no caminho certo

Nobre e fiel profecia
que anuncia a salvação
trazendo a luz do batismo
bem junto ao coração

Guarnição força e harmonia
do meu bendito São João
Guarnição força e harmonia
és meu bendito São João

Ô abre a porta quero ver meu bem
Abri a porta meu amor já vem
Abri a porta e encontrei meu bem
Abri a porta e veio o amor também

domingo, 16 de abril de 2017

Minha lagrima é paz
É a seiva que escorre do galho recém cortado

Minha lágrima é doce
É o vento que sopra das montanhas numa tarde de outono

Minha casa é de água
É a ribanceira que desbarranca no rio depois de uma tarde de poesia

Minha lágrima esvai em versos de uma língua quase esquecida

Quem saberá explicá-lá?
Quem poderá escolhê-la em meio a tantas certezas sabidas
Em meio a tantas partes abandonadas?

Minha lágrima cai distante
No caldo de velhas cantigas

Ela é sua, é sua só
Quem me escuta, quem me entende
Quem se lembra

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Meu amor
Minha flor
Rosa perfumada de ser

Minha pérola brilhante
Seu olhar me traz paz
Calma, amor
Seu brilho, líquido em luz

Olha, se dessa vez for amor
Claro, leve, rápido e preciso

Olhe aqui, olha lá
No fio da navalha
Vale cem pra lá
Vem pra cá

Onda vem, cintilante, onda calma
Sol, paz, luz clara
Onde for pra ser
Minha casa, paz
será